ASSPROM

Relato de
Thiago Roger
(ASSPROM)

“Quando eu era adolescente, participei da ASSPROM, que é uma organização que emprega jovens entre 16 e 18 anos. São jovens que buscam uma primeira oportunidade no mercado de trabalho e possuem baixa renda.
A ASSPROM possui apoio de diversas entidades públicas e privadas. No meu caso, a instituição envolvida era a FIEMG (Federação das Indústrias de Minas Gerais).
Quando eu participei do projeto, estava com 16 anos, começando o ensino médio, momento em que o adolescente quer começar a ter sua própria vida, seu dinheiro, comprar roupas, sair.
Eu sabia que a situação financeira da minha família não era boa. Minha mãe era a única mantenedora da casa e eu não achava justo pedir dinheiro a ela para fazer minhas coisas. Foi quando decidi trabalhar.
Eu iria trabalhar oito horas por dia. Sempre estudei de manhã e tive que mudar para o turno da noite. Eu sempre gostei de estudar e isso foi o que mais me incomodou. Eu tinha um preconceito com a escola à noite. Achava que meu rendimento ia cair, que os professores não eram tão bons. Foi nessa época que eu descobri que quem eleva o nível de qualquer coisa, seja no trabalho, escola, faculdade é você mesmo.
Não foi fácil a adaptação. Eu me lembro que passei várias vezes do ponto de ônibus em que eu deveria descer porque havia adormecido durante a viagem…( risos). Era o cansaço.
A ASSPROM foi importante na minha vida porque me ajudou a perceber que você é responsável pelo que faz com as oportunidades que a vida lhe entrega. Mas o seu ambiente, o seu habitat, contribui para o seu desenvolvimento. E foi o que aconteceu em meu primeiro trabalho na FIEMG.
Na época (2003), fui trabalhar em um escritório dentro do sistema FIEMG, cujo foco era voluntariado empresarial. Eu nem sabia o que era isso. Lá eu conheci sete mulheres (Marisa, Cláudia, Annabella, Danusa, Laura, Luciene e Júnia). Eu era o único homem e essas mulheres tinham tudo o que eu precisava naquele momento: “combustível para crescer”.
Todas elas estudadas, pós-graduadas… Eu ainda não tinha vivido em um ambiente assim. Tudo o que eu sabia, ou achava que sabia, eu havia aprendido por osmose. Não tive exemplos assim em casa. Eu fui o primeiro da minha família a entrar para uma universidade.
Essas mulheres mudaram minha vida, me mostraram que existia outro caminho. Somava-se a isso à vontade que eu tinha de não repetir a realidade da minha família, assim segui em frente. Ao terminar meu contrato com a FIEMG eu havia passado no vestibular e estava pronto para desbravar o mundo (risos…).
Hoje sou formado em jornalismo, pós-graduado em rádio e TV. Trabalho na região norte do Brasil. Vivo no Acre e sou apresentador e editor do Bom Dia Amazônia, que é um telejornal da Rede Amazônica, afiliada da Rede Globo.
Aos poucos eu estou conquistando tudo o que eu sonhei.
Não tenho mais relação com o projeto, inclusive estou fora de Belo Horizonte há três anos. Hoje sou entusiasta de iniciativas como a ASSPROM, pois estou certo de que ainda vou retribuir o que fizeram por mim.

o que é a ASSPROM

A Associação Profissionalizante do Menor de Belo Horizonte (Assprom) é uma entidade civil de direito privado, sem fins econômicos, criada em dezembro de 1975, com o objetivo de acolher jovens que compunham a Guarda Mirim de Belo Horizonte. Na época, houve uma intervenção do Ministério Público do Trabalho, proibindo e determinando o encerramento das atividades da Guarda. Em decorrência disso, pessoas idealistas da sociedade civil, como o então Secretario de Estado do Trabalho, Mário Assad, e o delegado do Ministério do Trabalho se reuniram e criaram a Assprom. Desde então a ASSPROM realiza trabalhos de profissionalização, orientação e inclusão de milhares de adolescentes.
A Assprom foi crescendo e conseguiu o Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social e o título de Utilidade Pública municipal, estadual e federal, comprovando o reconhecimento público do seu trabalho. Todos os programas e projetos na área de educação, profissionalização, orientação e inclusão dos adolescentes e jovens são aprovados e registrados no Ministério do Trabalho, no Conselho de Direitos da Criança e do Adolescente e no Conselho Estadual de Assistência Social.

Atualmente a ASSPROM treina 3.200 jovens e conta com um quadro de 230 funcionários e 60 estagiários, além dos associados e diretores, que são voluntários. Apresenta ainda uma média de 150 homologações de rescisão de contrato por mês e quase não há reclamações trabalhistas. Tem ainda a grata satisfação de que muitas ou quase todas as empresas e órgãos em que os seus jovens trabalham costumam contratá-los. Não todos, mas aqueles que apresentam maior dedicação (em média 30% deles) são efetivados após o período em que passam na Assprom.
O trabalho da ASSPROM não para por aí, contempla ainda a inclusão de adolescentes e jovens com deficiência, ações de capacitação junto às famílias dos adolescentes, promovemos campanhas educativas, como forma de exercício da cidadania e desenvolvendo o Projeto “Despertar”, que reforça a divulgação de informações sobre o uso e abuso de drogas líticas e ilícitas, além de projetos junto às comunidades dos bairros Taquaril, Vera Cruz, Boa vista e Lindéia.
Vale ressaltar que a Assprom nunca recebeu qualquer recurso público. As empresas parceiras pagam os salários dos adolescentes, além de uma taxa de administração, os encargos sociais e previdenciários. Os jovens recebem ainda um kit escolar para o ano inteiro, contam com assistência odontológica, sendo esta última realizada pelos profissionais da ASSPROM, além de parceiras para atendimento ginecológico e psicológico para aqueles que necessitam.
Os principais órgãos públicos com os quais a ASSPROM mantém parcerias são: o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, a Assembléia Legislativa, o Governo de Estado, o Tribunal de Contas e a Procuradoria de Justiça. No segundo setor, conta com a parceria de 386 empresas, incluindo os grandes hospitais de Belo Horizonte.
Hoje a ASSPROM está em 93 comarcas de Minas Gerais e a seriedade do trabalho gera muitos destaques. Cerca de 90% dos jovens, ao concluírem o programa da Assprom, encontram o caminho saudável e ético em relação ao trabalho. São centenas de exemplos, que incluem ex-adolescentes trabalhadores, que hoje são assessores de desembargador, assessores na Procuradoria da Justiça, na Assembleia Legislativa. Vários egressos da ASSPROM realizaram concursos públicos. Há vários profissionais, como uma juíza do trabalho, entre outros. O próprio vice-presidente da ASSPROM é um ex-adolescente trabalhador da instituição.
Saiba mais sobre a Assprom
no site: www.assprom.org.br
Informações cedidas pelo Presidente da Assprom
Carlos Augusto de Araújo Cateb


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑