Programa de aceleração nas vilas e favelas transforma realidades

Comunidades têm oportunidade de alavancar seus negócios com o FA.VELA

Empreender é agregar valor, saber identificar oportunidades e transformá-las em um negócio lucrativo. Desde 2014, a Organização Fundo de Aceleração para o Desenvolvimento Vela – FA.VELA proporciona o empreendedorismo nas vilas e favelas de Belo Horizonte.

O trabalho consiste em democratizar o acesso à educação empreendedora para os moradores das comunidades de baixa renda. Criando oportunidades e reinventando caminhos, o FA.VELA já transformou a realidade de 63 pessoas dos mais diversos locais da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Empreendedores da Vila da Paz e Vila Coqueiral, no Pindorama, Morro do Papagaio e Aglomerado da Serra, região Centro Sul de Belo Horizonte, Parque São João, em Contagem, Sabará, Santa Luzia, Barreiro, Morro das Pedras e a região Central da capital já foram atendidos pelo projeto.

Um dos fundadores e presidente do FA.VELA, João Paulo Oliveira Souza, ressalta que a ideia é gerar mais impacto nas comunidades, fazendo a aceleração dos negócios e projetos. De acordo com João Paulo, o FA.VELA está focado em um modelo que realmente funcione e não na questão do CNPJ. “A ideia é fazer funcionar, gerando renda para o empreendedor e movimentando o local onde mora”, ressalta.

Os programas de aceleração trabalham numa lógica de três pilares: a educação empreendedora que trabalha com comunicação, marketing, design, entre outros pontos. As mentorias que ajudam os empreendedores na construção de modelos sustentáveis, com auxílio de especialistas. E, por último, as visitas técnicas onde os futuros empreendedores têm acesso a informações e conhecimento de outros negócios que estão no mercado. Entre 30 e 40 pessoas participam de cada programa de aceleração.

João Paulo explica que o FA.VELA não faz intervenção na ideia das pessoas, mas ajuda a melhorar o que já existe. É o caso da cabeleireira Jumara Elisa da Silva, moradora do Aglomerado Santa Lúcia. Ela sempre atendeu as clientes em casa, teve três salões e todos fecharam por causa da má administração. Depois que conheceu a organização, no ano passado, o salão dela expandiu. “Eu alugava salas e instalei meu salão na garagem de casa. Isso gerou uma economia e fez com que eu investisse no meu negócio”, diz.

Atualmente, o salão oferece dia da noiva, dia da princesa, estética e outros serviços de beleza. E Jumara tem planos de alugar um local fora do Aglomerado e atender clientes de outros locais. “Já atendo pessoas de fora, mas há aquelas pessoas que não querem subir o morro”, explica.

Para a cabeleireira o foco é o principal elemento para o sucesso de um negócio. “Quando você tem foco e acredita naquilo que quer, vai longe”, ressalta. A mesma opinião tem João Paulo: “acredite sempre em você. E lembre-se que tudo pode mudar durante o seu desenvolvimento. Muitas vezes a ideia inicial é mudada, para ter melhor resultado no mercado”, conclui.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑