Fórum permanente de entidades Vertente do Caparaó

revista-valor-compartilhado-terceiro-setor-forum-entidadesFórum Permanente de Entidades – Vertente do Caparaó é uma iniciativa do Instituto dos Missionários Sacramentinos de Nossa Senhora, com a finalidade de fortalecer, qualificar, contribuir para a troca de experiências e apresentar para a sociedade as diversas ações sociais importantes que são desenvolvidas pelo Terceiro Setor dos municípios próximos do Parque Nacional do Caparaó, que abrange as regiões da Zona da Mata e Vale do Rio Doce em Minas Gerais e, no Espírito Santo, as regiões Central Serrana e Caparaó.

A sede do Fórum se encontra em Manhumirim/MG, os demais municípios pertencentes são: Alto Caparaó, Alto Jequitibá, Caratinga, Caparaó, Carangola, Espera Feliz, Governador Valadares, Lajinha, Luisburgo, Matipó, Manhuaçu, Manhumirim, Martins Soares, Mutum, Reduto, Rio Casca e Simonésia em Minas Gerais e no Espírito Santo, Ibatiba, Irupi e Iuna. Aproximadamente 70 entidades já estiveram presentes nos eventos. “A ideia é ampliar o número de participantes”, explica Júlio César de Oliveira Brum, coordenador do Fórum Permanente de Entidades – Vertente do Caparaó e completa: “Além de dirigentes, trabalhadores e conselheiros que atuam nas organizações, o Fórum conta também com a presença de gestores municipais, funcionários públicos e representantes do poder legislativo de alguns municípios, o que é extremamente relevante para que o diálogo aconteça”.

Brum esclarece que a criação de Fóruns de discussão faz parte do momento atual da política pública de assistência social, em que trabalhadores e usuários também se mobilizam. Foi nesse contexto que surgiu a iniciativa do Fórum Permanente de Entidades – Vertente do Caparaó, que tem como tema: Formando rede para garantir direitos. “O Fórum aborda a garantia de direitos na perspectiva das entidades, que desenvolvem ações relevantes, nas diversas áreas, mas não são reconhecidas e valorizadas pelos governos atuais, não recebem a devido reconhecimento, seja financeiro ou mesmo como parceiro importante”, comenta Brum.

revista-valor-compartilhado-terceiro-setor-forum-entidades-1 revista-valor-compartilhado-terceiro-setor-forum-entidades-2Segundo Brum, a situação da região onde está inserido o Fórum Permanente de Entidades – Vertente do Caparaó, não é diferente do restante do país. Ele explica que as organizações sociais desenvolvem a maioria das atividades de acolhimento institucional de atendimento a crianças, adolescentes e idosos. Atuam também junto às pessoas com deficiência por meio das Apaes. Desenvolvem ações que vão desde a proteção social básica à alta complexidade e promovem também o assessoramento. Na área da saúde a maioria dos hospitais é filantrópica, colaborando decisivamente com o Sistema Único de Saúde – SUS. “Mesmo diante dessa realidade, não percebemos nenhuma ação dos governos municipais, dos estados e do governo federal no sentido de reconhecer por meio de ações concretas os trabalhos desenvolvidos”, fala Brum e acrescenta: “diante desse contexto, temos a clareza que os desafios são vários e somente as entidades devidamente organizadas e conhecedoras de seus direitos e deveres sobreviverão. Não existe mais espaço para o amadorismo e o assistencialismo. Na lógica atual, compete às entidades desenvolverem políticas públicas de forma organizada, conforme estabelecido nas normativas”. O coordenador do projeto apresenta a gestão como maior desafio, juntamente com a questão contábil e financeira. “Diante disso, o Fórum tem como proposta levar conhecimento sobre gestão, contabilidade, política pública, captação de recursos, controle social, inscrição, certificação, marco regulatório, títulos entre outros temas”, descreve Brum.

Atualmente o Fórum tem como proposta encontros a cada quatro meses em cidades diferentes para facilitar o deslocamento dos participantes, bem como, favorecer a participação de outras entidades e promover a divulgação do evento.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑