Arte é valorizada em projeto da Akala

Vamos ao Museu? já beneficiou 790 pessoas de BH, Nova Lima e Pains; programa já recebeu prêmios nacionais e internacionais

Fotos:   Webert Debarry

Vamos ao Museu? Quem convida é o programa Akala. Fazendo uma aproximação cultural entre o passado e o presente, a iniciativa atende estudantes de baixa renda das cidades de Belo Horizonte, Nova Lima e Pains, cidade localizada no Oeste de Minas Gerais.

O programa é pioneiro no Brasil e busca estimular o interesse e a consciência sobre a importância da preservação de bens e manifestações que compõem o patrimônio cultural. Quem explica é a educadora e idealizadora da iniciativa, Andréia Menezes de Bernardi. “A cultura do público participante é valorizada, a partir do momento em que há um reconhecimento das próprias referenciais culturais e do patrimônio. Pesquisamos sobre a cultura local do bairro, cidade ou comunidade. A partir daí, os estudantes entram em contato com outras culturas”, ressalta.

Antes de visitar um museu, os participantes, em sua maioria das classes sociais C e D, são levados a conhecer e reconhecer o ambiente onde vivem com um olhar artístico, observando construções, praças, monumentos e outras características que determinam o local.

A Escola Municipal Harold Jones foi uma das escolas que recebeu o projeto. Luciana Flávia Braz, diretora, disse que a iniciativa foi extremamente prazerosa. “As crianças tiveram a oportunidade de conhecer, experimentar, vivenciar e expressar-se através do trabalho cultural e artístico realizado. Foi uma honra participar do programa”, disse.

Para a Akala, o contato qualificado com a arte onde são estimulados olhares livres e investigadores, estabelecendo conexões, pode ser uma experiência transformadora. “Buscamos por meio do “Vamos ao Museu?” promover encontros significativos com a arte, ampliar as experiências dos participantes, estimular o usufruto cultural, valorizar a diversidade, fortalecer processos de construção da identidade e incentivar o protagonismo com vistas ao redesenho de cada realidade”, afirma Andréia.

Sobre a Akala

A Akala realizou vários projetos educativos e culturais como publicações de livros, elaboração de materiais didático-pedagógicos e oficinas de Educação Patrimonial. Realizadas em 2015 e em 2016 no âmbito do Circuito Usiminas de Cultura em Ipatinga, Itatiaiuçu, Santana do Paraíso e Itaúna, MG. O principal projeto da Akala, no entanto, é o Programa Vamos ao Museu?

As educadoras Andréia de Bernardi e Lindaura Maia narram uma história no primeiro encontro de sensibilização com os estudantes da E. M. Harold Jones.

Estudantes da E. M. Harold Jones participam de atividades educativas durante a visita à exposição “Kandinsky – Tudo começa num ponto” no Centro Cultural Banco do Brasil.

Estudantes da E. M. Harold Jones visitam a exposição “Kandinsky – Tudo começa num ponto” no Centro Cultural Banco do Brasil.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑